BeHaveMarketing

BeHaveMarketing
Formação e Consultoria de Vendas e Marketing B2B

quinta-feira, 4 de julho de 2019

Key Account Plan (KAP) para Vendas Complexas B2B

Key Account Plan
As empresas que actuam nas chamadas Vendas Complexas têm, no seu portfólio, alguns clientes que representam a maior parte do seu negócio. 

É nestas empresas se deve dedicar maior atenção pois, não apenas garantem a maior parte da sua facturação (há que retê-los em primeiro lugar) como podem, quando devidamente trabalhadas, ajudar a crescer na facturação actual.

Esse retenção e crescimento no cliente já existente só funciona com Planeamento atempado e dedicado. Por isso existe o chamado “Account Plan” (AP).


Mas dentro desse portfolio existem clientes que merecem "ainda" mais dedicação que os outros:  são os clientes-chave da empresa e por isso há que implementar, para essas empresas os Key Account Plans (KAP).

O objectivo deste artigo é, para já, alertá-lo para a necessidade e importância de um Key Account Plan para os seus clientes mais estratégicos.

O QUE É UM KAP? 
Existem algumas definições de especialistas internacionais sobre AP ou KAP, como as que se seguem:

  • Trata-se de uma abordagem para clientes estratégicos (cujas necessidades devemos conhecer em profundidade) que lhes oferece o Valor que o distingue do seu concorrente

Malcolm McDonald, Key Account Management

  • Processo de construção de relacionamentos comerciais sólidos num mercado complexo que nos permite criar, desenvolver e conquistar negócios que ofereçam valor mútuo.

Donal Daly in Account Planning in Sales Force
No fundo:
Empresas Grandes e Complexas
1) Trata-se de saber mais sobre os clientes atuais, compreender melhor as suas necessidades, ter uma proposta de valor diferenciadora;

2) Fornecer uma estrutura que determina o que é (e não é) importante na altura de aumentar as nossas vendas;

3) Providenciar informação relevante que aponta para a quota de mercado, nível de concorrência, pontos fortes e fracos do seu negócio (nos clientes) e dos concorrentes. 

EXISTEM 5 FACTORES PRINCIPAIS QUE JUSTIFICAM A UTILIZAÇÃO DE KAP*
1) Clientes estão a tornar-se cada vez mais complexos;
2) Produtos e serviços estão cada vez mais comparáveis entre si. Por isso o poder e a influência do “Procurement” (Compras) nas empresas tem aumentado, o que se reflecte, cada vez mais no Preço;
3) Procurement e Vendas devem trabalhar, cada vez mais em conjunto;
4) Apenas alguns (poucos) clientes que constam no nosso portfólio têm significado estratégico relevante para a empresa. É nesses que nos devemos focar primordialmente;
5) Do lado do cliente as expectativas aumentam cada vez mais.

*Segundo Hartmust Sieck (especialista internacional em KAP)


AUMENTOS INCREMENTAIS E TRANSACCIONAIS DAS VENDAS

Aqueles Vendedores e Account Managers que se contentam apenas com ligeiros aumentos incrementais e transacionais do negócio apenas irão ter, no final ligeiros resultados incrementais, pois, com esta postura não se garante a longevidade do negócio nem o crescimento sustentado. É fundamental:


→Ter Pensamento Estratégico;
→Fazer Selecção de Clientes Estratégicos;
→Foco no Longo prazo.

QUE CONTAS NECESSITAM DE PLANEAMENTO (AP ou KAP)?

1) Contas grandes e complexas (sim, é relativo: o que é grande e complexo para uma empresa pode não ser para outra);
2) Aquelas cujo potencial de crescimento mereça investimento adequado;
3) Os 20% de contas que representem 80% da facturação da empresa. 


  • Aconselha-se a colocar as empresas por ordem decrescente de facturação;
  • Os maiores e aqueles mais estratégicos que a sua estrutura pode realmente acompanhar.

Com os dados que tem na empresa, facilmente conseguirá um gráfico semelhante ao abaixo indicado e analisar quais os 20% de clientes que representam 80% da facturação da empresa (isto se o critério a adoptar for apenas o da facturação!)


QUE OUTROS CRITÉRIOS SE PODEM ADOPTAR?
Além do critério das Vendas e de acordo com a especificidade de cada empresa poder-se-ão adoptar outros critérios de escolha, tais como:

1) Clientes Potenciais

aqueles que, mesmo que “ainda” não figurem nos tais 20% que a Lei de Pareto indica, têm identificado potencial acima do normal;

2) Melhores Margens

Em algumas actividades de negócio a facturação, em si, não representa tudo. Quando a Margem é factor preponderante para o negócio as empresas com melhores margens são as que devem ser objecto de planeamento;

3) EBIDTA (Earnings Before Interest, Depreciation, Tax and Amortization)

Aqui acontece o mesmo que no ponto anterior.

Se o factor EBIDTA tiver mais peso na análise de negócio da sua empresa é por esta avaliação/critério que deve selecionar as suas contas estratégicas que serão objecto do Plano. Cada caso é um caso!


ESTRUTURA DO PLANO

É um processo de 4 passos:

1) Analisar o cliente e identificar mudanças na empresa e no respectivo mercado.

Daqui podemos detectar oportunidades (e riscos) para o nosso próprio negócio;

2) Analisar o nosso estado actual (no cliente em causa) e compará-lo com o da eventual concorrência (sim, vai ter que elaborar uma Análise SWOT, mas do ponto de vista do cliente; as suas fraquezas no cliente poderão ser as suas oportunidades);


3) Avaliar em detalhe as oportunidades (e riscos) detectados nos 2 pontos anteriores;


4) Após análise e avaliação do potencial identificado poderemos:


a) Determinar novos objectivos de negócio;

b) Delinear uma estratégia para atingir objectivos propostos;
c) Implementar um Plano de Acção.

TIMINGS DE ELABORAÇÃO DE UM KAP

Os últimos 4 meses do ano são aqueles com maior carga de trabalho para todo o tipo de actividade que um KAP exige.

Contudo e de acordo com a dimensão da empresa, é já no mês de Agosto que se deve começar a preparar os "alicerces" do plano conforme se pode ver na imagem abaixo.



Como tudo isto se faz, na prática? Fique atento aos nossos próximos artigos pois este já vai longo.

Convido-o, desde já a subscrever a nossa newsletter para ficar a par destas e de outras novidades que publicamos regularmente, e que têm a ver com as Vendas & Marketing Estratégico B2B, no âmbito das Vendas Novas & Complexas.


Faça...


Excelentes Negócios!


Cumprimentos,


Jorge Miguel Conceição


PS: caso deseje mais informações sobre este e outros temas do seu interesse contacte-nos através do telefone: +351 21 409 4009 ou info@behavemarketing.com.


Poderá também agendar automaticamente uma reunião: 1) on-line (15 a 20  mnts); 2) presencial (30 ou 60 mnts), para a região da Grande Lisboa. 


Para tal basta clicar no seguinte link abaixo:

https://calendly.com/jorge-conceicao_behave_mkt

Agendamentos no resto do país está sujeito a marcação personalizada e respectiva confirmação. 

Bibliografia: Account Planning in Sales Force, de Donal Daly; Key Account Management, de Malcolm McDonald, Essencial Account Planning, de Mark Donnolo; The Strategic Key Account Plan, de Hartmust Sieck. 

Sem comentários:

Publicar um comentário